Futebol

Ponto de Encontro dos Profissionais, Estudantes e Pesquisadores

Entrar no Grupo

Haverá Dança dos Técnicos Esse Ano no Brasil?



Boa tarde cevnautas!

Haverá "dança" dos técnicos esse ano no Brasil?

Tomara que não, creio que todos torcem para que o futebol profissional brasieiro se torne mais organizado.

Acesse o link abaixo e assista o vídeo da turma do 'Porta dos Fundos' que servirá como tópico gerador para este debate:

https://www.youtube.com/watch?v=XeEOCi3WZqs

 

Beijos e abraços

Marcos Júnior

Comentários

Por Romário Cardoso Costa
em 25-01-2016, às 22h48.

Caros colegas cevnautas.

Não tenho a menor sombra de dúvida que a dança dos técnicos será a de sempre, basta uma equipe perder algumas partidas e, ainda pior, quando seguidas! Cai, mas cai mesmo! A dança do youtube exagerou um pouquinho! Mas para encontrar um salvador da pátria costuma demorar um pouco. O Cruzeiro/MG no último campeonato brasileiro, 2015, foi um exemplo que deu certo com a dança, porém nem sempre é assim! Na verdade é o emprega, desemprega! Mesmo assim tem técnico que se dá bem, como é o caso de Vanderlei Luxemburgo!

Por Omir Jorge Muniz
em 25-01-2016, às 23h06.

Olha, aquele vídeo é uma boa comédia diz tudo. É atual, aconteceu exatamente nesse início de ano. Quem percebeu os noticiários esportivos em diversos canais a própria mídia demitiu e recontratou um técnico, derrubam e depois tentam levantar. É uma contradição de comentaristas e muitos clubes entram nessa. Primeiro a imprensa escuta alguma conversa de bastidores e interpreta a sua maneira criando um clima negativo para o clube e sobra para o técnico. Outra o próprio clube quer resultados imediatos e também descarrega no treinador. O pior, o patrocinador que deseja escolher jogador para atuar no time. Claro que se não houver um bom gestor isso vira uma panela de pressão, pois a imprensa tem seus patrocinadores e as vezes é o mesmo do clube. O patrocinador não quer aliar a marca do produto a uma equipe perdedora.

Infelizmente no futebol brasileiro é muito complicado para um treinador realizar um bom trabalho a curto prazo. Vimos a pouco um treinador estrangeiro que se aposentou no clube, no Brasil isso é impensável. Falam que é nossa cultura, não vejo assim.

Por Júlio de Oliveira Neves
em 02-02-2016, às 01h19.

Infelizmente, Creio que sim. O problema vai muito além da qualidade dos técnicos, o problema é cultural! Virou cultura no Brasil demitir técnico quando o time está na pior, afinal, é mais fácil dispensar o "Professor Pardal”, ou dispensar vários jogadores? Claro que a grande maioria das vezes vai sobrar para o "Professor". Apesar de o Futebol Brasileiro estar engatinhando quando o assunto é "Permanência de Técnicos", já se pode ver uma pequena melhora. Podemos pegar como exemplo o Tite, técnico do Corinthians, Roger Carvalho Técnico do Grêmio e Levi ex-Técnico do Galo, ambos estão a mais de um ano nos seus respectivos cargos, e dos três, apenas Levir se despediu de seu clube.

Por Gabriel Rocha Maia
em 02-02-2016, às 14h45.

Júlio, concordo com  o seu comentário. Parece que o Brasil começou a assimilar que seus métodos estão mais que ultrapassados, provavelmente depois dos 7 a 1, mas ainda está longe do que seria o ideal. É preciso que existam projetos nos clubes, e que esses projetos tenham início, meio e fim. Nada conseguirá fazer um técnico em três meses de trabalho em um clube desorganizado, despreparado. Parece que os times no Brasil confiam na sorte, em que a partir do momento em que se troca de técnico, os jogadores vão querer mostrar trabalho, e com a motivação em alta, conseguirão conquistar algo. E após essa mudança de postura dentro do futebol de nosso país, acredito que veremos os frutos nas competições internacionais disputadas pela nossa seleção.

Por Edison Yamazaki
em 18-04-2020, às 10h36.

A troca de técnicos muitas vezes necessário para o bem da equipe. Acredito que o grande problema brasileiro é que os treinadores não estudam e seguem na carreira com o que aprenderam ou observaram no decorrer do tempo. 

Talvez falte ao profissional uma visão mais abrangente e moderna do futebol como um todo, e não somente dentro dos campos e nos treinamentos. Faltam também cursos de reciclagem para os 'professores", cursos que deêm mais abertura mental, que os façam pensar em novos processos. 

O futebol deixou de ser gerido por apenas uma pessoa. Os trabalhos estão cada vez mais divididos entre diversos profissionais, portanto, é necessário uma equipe competente. Ao treinador caberá definir os sitemas táticos, os jogadores que irão compor o grupo e alguns detalhes de natureza técnica. Tão importante quanto tudo isso, ele precisará ter muita habilidade em saber como tirar o melhor de cada atleta, contornar os diversos problemas de relacionamentos que existem em qualquer grupo, controlar a vaidade de alguns, entre outras coisas, que fogem do aspecto simplesmente esportivo. .

O amadorismo dos dirigente e do próprio ambiente do futebol também precisa mudar. Aquele negócio de que quando perde ninguém presta, e quando vence todos são ótimo também é uma maneira míope de enxergar as coisas. 

Enfim, pelo andar da carruagem, ainda falta para não haver a dança repetida dos treinadores, que não são culpados por tudo, mas também não são totalmente inocentes. O sistema viciado que cerca o futebol brasileiro só irá mudar na medida que profissionais realmente competentes começarem a assumir os lugares que atualmente pertencem aos amadores, principalmente em suas diretorias. 

 

Por Laercio Elias Pereira
em 27-02-2021, às 15h19.

Edison, não estou conseguindo mandar mensagem para o seu @ymail. Escreve para laercio@cev.org.br por outro email?

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.