APEF - Associações de Profissionais em Educação Física

Ponto de encontro de profissionais, pesquisadores e estudantes que acreditam na necessidade de Associação Profissional em Educação Física. Continuação da lista de discussão cevapef-L, criada em 1997

Entrar no Grupo

Treinador Pessoal X Plataforma Online



Cevnautas,

O serviço empresarial online ajuda ou atrapalha?

Vou de marquerença:

A dorzinha no joelhor que o video de propaganda fala foi causada por um personal de carne e osso?

http://www.biotreino.com.br/

Laercio

 

 

Comentários

Por Angela Patricia Ramos
em 18-03-2016, às 18h33.

Laercio...que ótima discussão... parabéns pelo tema tão atual e necessário.

Atuo na área de Personal e uso sim ferramentas ao meu favor e a favor do aprendizado, empoderamento e autonomia do aluno porém não acredito que uma metodologia totalmente à distância dê resultados similares a supervisão e acompanhamento presencial e ainda mais que previna ou trate problemas osteo-musculares.

 

Por Laercio Elias Pereira
em 20-03-2016, às 16h52.

Cevnautas da APEF,

Por problema na conexão o nosso mestre, e decano dos treinadores pessoais do Brasil, Prof. Dr. Luiz dos Santos http://cev.org.br/qq/luizdossantos/, nos honrou com um comentario e um pouco de história, no debate e pediu que eu postasse:

.......

...  Meu estimago amigo e colega; inicialmente quero te dar os parabéns por colocar este tema, tão atual, mas em minha opinião TODO PROFESSOR, NÃO IMPORTA EM QUE ÁREA /DISCIPLINCA É UM EDUCADOR QUE DEVE DAR ATENÇÃO INDIVIDUALIZADA AOS ALUNOS.   Claro que na nossa "patria educatora" isso nunca foi uma POLITICA PUBLICA  e que sempre contou com a inércia e/ou omissão dos Professores, em sua imensa maioria ganhando salários indignos e com cargas horárias inadequadas, o que explica mas não justifica nem a inércia nem a omissão.   Quando criei em 1959 (ainda estudante) a Academia Sparta de Ginástica e Halterofilismo, não só  estava acostumado a receber orientação individual no Ginásio Força e Saúde, grupo criado e dirigido pelo  insigne Dr. Marcello B. Viveiro (introdutor do Halterofilismo no Rio de Janeiro,ACM em 1932) como do Prof. Paulo Ernesto  Ribeiro no Levantamento Olímpico no C R Flamengo. Em 1965 tive oportunidade de criar e coordenar o primeiro curso de Extensão sobre Halterofilismo, com 30 horas-aula, na ENEFD onde convivo com Halterofilistas que eram proprietários e orientadores das Academias então existentes.   Em 1968 fiz outro Curso, e somente Diretores de Academias e Altetas por eles indicados compareceream, pois os Licenciados em EdF à época não só não se interessavam pelo Desporto do Halterofilismo, como não o consideravam na área de  de Halterofilismo; em função destas atividades fui convidado pelo Prof. Paulo E. Ribeiro a assumir a Presidencia da Federação Metropolitana de Halterofilismo, com o único voto do Botafogo F.R., única entidade legalizada e filiada apta a votar. Isto me proporcionou aumentar o convívio com as Academias, mais conhecidas á época como Ginásios  e embora dirigida por leigos, eles não só eram praticantes, como formavam instrutores e em sua maoria, dispensavam atenção individual aos Alunos.   Faço um destaque especial ao Amigo David Calabria, que quando pretendia abrir um Ginásio no Flamengo, me procurou, para em alto nível ético me participar da sua intensão. Foi a maior manifestação ética que tive em toda minha vida multiprofissional e social.Portanto, a expressão Personal Trainer  é um  modismo, que além do anglicismo demonstra uma falsa attitude profissional e ignora que nos idosd e1940/1950 havia aulas pelo Rádio, de um Professor de Educação Física, imortalizado em uma estátua na Praça Saens Pena, e os Prof., davam aulas particulares, inclusive em domicilios, individualizadas....   Luiz dos Santos

Por Roberto Affonso Pimentel
em 21-03-2016, às 07h39.

Senhor Prof. Dr. Luiz dos Santos,

Grato pela desenvoltura histórica sobre o halterofilismo no Rio de Janeiro (e Brasil). Todavia, e aqui peço sua ajuda, houve tempo em que um personagem se destacou nessa área. Trata-se do Prof. Paulo Azeredo (1916-2000), que também veio a ser técnico de voleibol no Fluminense e das seleções brasileiras masculina e feminina durante o 1º Sul-Americano, em 1951. Além de campeoníssimo em diversas provas de atletismo e físioculturista.

Paulo Azeredo foi também um dos fundadores da Escola Nacional de Educação Física e Desportos e professor de mais de duas gerações de alunos.

Leia mais: http://www.procrie.com.br/2012/04/01/evolucao-das-regras-do-voleibol-praga-1949-final-14837/

Roberto A. Pimentel

 

Por Roberto Affonso Pimentel
em 21-03-2016, às 08h10.

Senhor Prof. Doutor Luiz dos Santos,

Meu interesse sobre o assunto foi tanto, que em seguida descobri uma "peça" que situa de forma peculiar a figura do Paulo Azeredo: 

Halterofilismo

 LUIZ DOS SANTOS

[...] Halterofilismo competitivo hoje é um esporte olímpico. O uso de pesos e halteres variou de acordo com o esporte e utilitários objetivos ao longo do século XX. Os primeiros registros de levantamento de peso no Brasil datam do século XIX. A primeira competição entre clubes ocorreu em 1904. As primeiras seções permanentes em clubes dedicados ao Halterofilismo apareceram no Rio de Janeiro, em 1915, e a primeira Federação de halterofilismo também foi fundada no Rio de Janeiro em 1936. Halterofilismo passou por extenso desenvolvimento técnico entre 1940 e 1960, que foi visto em revistas técnicas e em coaching fornecido por grupos especializados. Levantamento de peso como uma disciplina de graduação em escolas de educação física [...]

1939

Na Associação Cristã de Moços - ACM do Rio de Janeiro, então sediada à Rua Araújo Porto Alegre, Marcello B. de Viveiros, médico do esporte, organiza um ginásio de Halterofilismo, com Francisco Lino de Andrade, certamente influenciado pela cultura francesa, pois na França o vocábulo Halterophile era utilizado na área de levantamentos, usando-se também o termo Culturismo para designar os atletas que se dedicavam ao desenvolvimento da musculatura corporal como símbolo de excelência física. Funda-se ainda no RJ, a Seção de Pesos e Halteres do clube Botafogo Futebol e Regatas, sob a direção de Paulo Azeredo. Realizou-se também um campeonato inter-clubes, com a participação do Flamengo, Central (de Niterói), Irapurás e Botafogo, sob supervisão da Federação, com seu delegado e fiscal, Arnaldo Costa. Neste ano iniciam-se as atividades da antiga Escola Nacional de Educação Física e Desportos - ENEFD, no RJ, onde Paulo Azeredo é encarregado da parte de aparelhos e levantamento de pesos, ligada à Cadeira de Esportes Terrestres Individuais.

Leiam mais... http://www.atlasesportebrasil.org.br/textos/74.pdf

DACOSTA, LAMARTINE (ORG.). ATLAS D O ESPORTE N O BRASIL . RIO DE JANEIRO: CONFEF, 2006 

 

Para comentar, é necessário ser cadastrado no CEV fazer parte dessa comunidade. Clique aqui para entrar.


:-)





© 1996-2023 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.