Twittando Sobre os Jogos Paralímpicos Rio/2016: Uma Análise do Sentimento Paralímpico Sob o Ponto de Vista de Internautas

Por: , , éliton Clayton Rufino Seára e .

Cadernos de Educação, Tecnologia e Sociedade - v.11 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O esporte paralímpico ao longo dos anos vem ganhando visibilidade nos diferentes meios de comunicação e, junto a este crescimento, a participação do público como consumidor e produtor da informação também ganha destaque pela interação permitida através da convergência digital. Assim, este estudo teve como objetivo caracterizar conteúdos que foram produzidos e circularam acerca do esporte e dos atletas paralímpicos durante a abertura e encerramento dos JP do Rio/2016 na rede social Twitter. Realizamos uma pesquisa observacional e descritiva a partir das hashtags oficiais do canal aberto Tv Brasil e do canal por assinatura Sportv, emissoras oficiais do megaevento (#vemprapara e #jogosparalimpicosnoSportv, respectivamente), durante os dias anteriores e os dias de realização das cerimônias de abertura e encerramento dos JP, os dias 06, 07, 17 e 18 de setembro de 2016. Concluímos que as postagens revelaram um sentimento de emoção, afeto e encantamento ou de reconhecimento das capacidades e habilidades dos atletas, como também uma crítica à formatação do esporte paralímpico como espaço de inclusão e acessibilidade.

REFERÊNCIAS

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BETTI, M. Esporte na mídia ou esporte da mídia? Motrivivência, n. 17, p. 1–3, 2001.

BRITISH PARALYMPIC ASSOCIATION. Guide to Reporting on Paralympic Sport. Reino Unido, ParalympicsGB, 2012. Disponível em: http://paralympics.org.uk/uploads/documents/imported/ParalympicsGB_Guide_to_Reporting_on_Paralympic_Sport_-_June_2012.pdf

BRUCE, T. Us and them: the influence of discourses of nationalism on media coverage of the Paralympics. Disability & Society, v. 29, n. 9, p. 1443–1459, 2014.

BUYSSE, J. A. M.; BORCHERDING, B. Framing Gender and Disability: A Cross-Cultural Analysis of Photographs From the 2008 Paralympic Games. International Journal of Sport Communication, v. 3, n. 3, p. 308–321, 2010.

CHANG, I. Y. et al. One world, One dream: A Qualitative Comparison of the Newspaper Coverage of the 2008 Olympic and Paralympic Games. International Journal of Sport Communication, v. 4, n. 1, p. 26–49, 2011.

CIDADE, R. E. A.; FREITAS, P. S. DE. Introdução à Educação Física adaptada para pessoas com deficiência. Curitiba: Editora da UFPR, 2009.

COAKLEY, J. Age and Ability: Barriers to participation and inclusion? In: Sports in Society: Issues and Controversies. 11. ed. New York: Mc Graw Hill Education, 2009. p. 302–349.

DE LÉSÉLEUC, E.; PAPPOUS, A.; MARCELLINI, A. La cobertura mediática de las mujeres deportistas con discapacidad: Análisis de la prensa diaria de cuatro países europeos durante los Juegos Paralímpicos de Sidney 2000. Apunts, Educación Física y Deportes, v. 97, n. 3, p. 80–88, 2009.

DE LÉSÉLEUC, E.; PAPPOUS, A.; MARCELLINI, A. The media coverage of female athletes with disability: Analysis of the daily press of four European counties during the 2000 Sidney Paralympic Games. European Journal for Sport and Society, v. 7, n. 3–4, p. 283–296, 2010.

FIGUEIREDO, T. H. Gênero e Deficiência – uma análise da cobertura fotográfica dos Jogos Paralímpicos de 2012. Estudos em Jornalismo e Mídia, v. 11, n. 2, p. 484–497, 2014.

GONÇALVES, G. C.; ALBINO, B. S.; VAZ, A. F. O herói esportivo deficiente: aspectos do discurso em mídia impressa sobre o Parapan-Americano 2007. In: PIRES, G. DE L. (Ed.). . “Observando” o Pan Rio/2007 na mídia. Florianópolis: Tribo da Ilha, 2009. p. 149–167.

HARDIN, M.; HARDIN, B. The “Superscrip” in sport media: Wheelchair athletes discuss hegemony’s disabled hero. SOSOL: Sociology of Sport Online, v. 7, n. 1, p. 1–14, 2004.

HARDIN, M.; HARDIN, B. Performance or Participation...Pluralism or Hegemony? Images of Disability and Gender in Sports ’n Spokes Magazine. Disability Studies Quarterly, v. 25, n. 4, p. 1–18, 2005.

HILGEMBERG, T. Do Coitadinho ao Super-heroi Representação social dos atletas paraolímpicos na mídia brasileira e portuguesa. Ciberlegenda, n. 30, p. 48–58, 2014.

HORKHEIMER, M.; ADORNO, T. W. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

HOWE, P. D. Cyborg and Supercrip: The Paralympics Technology and the (Dis)empowerment of Disabled Athletes. Sociology, v. 45, n. 5, p. 868–882, 2011.

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE. Guide to reporting on persons with an impairment, Bonn, International Paralympic Committee, 2014. Disponível em: https://www.paralympic.org/sites/default/files/document/141027103527844_2014_10_31+Guide+to+reporting+on+persons+with+an+impairment.pdf

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE. Strategic plan 2015 to 2018: strategic outlook for the International Paralympic Committee, Bonn, IPC, 2015.

JENKINS, H. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

CRUZ JUNIOR, G.; FERMINO, A. L.; PIRES, G. D. L. O Brasil na Copa, a Copa no Brasil: registros de agendamento para 2014 na cobertura midiática da Copa da África do Sul. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 37, n. 3, p. 251–257, 2015.

KELLNER, D. A cultura da mídia e o triunfo do espetáculo. Líbero, v. 6, n. 11, p. 4–15, 2003.

MARCHI JÚNIOR, W. “Sacando” o voleibol: do amadorismo à espetacularização da modalidade no Brasil (1970-2000). 2001. 267 f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

MARQUES, R. F. R. et al. A abordagem midiática sobre o esporte paralímpico: o ponto de vista de atletas brasileiros. Movimento, v. 20, n. 3, p. 989–1015, 2014.

MARQUES, R. F. R. et al. A abordagem mediática sobre o desporto paralímpico: perspetivas de atletas portugueses. Motricidade, v. 11, p. 123–147, 2015.

MARQUES, R. F. R. A contribuição dos Jogos Paralímpicos para a promoção da inclusão social: o discurso midiático como um obstáculo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, n. 108, p. 87–96, 2016.

MARQUES, R. F. R.; GUTIERREZ, G. L. O Esporte Paralímpico no Brasil: profissionalismo, administração e classificação de atletas. São Paulo: Phorte Editora, 2014.

MARTÍN-BARBERO, J. Ofício de cartógrafo: travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

MENDES, D. DE S. et al. A campanha #foraricardoteixeira no Twitter : interações sociais e debate. Revista Brasileira de CIências do Esporte, v. 35, n. 4, p. 929–946, 2013.

NOVAIS, R. A.; FIGUEIREDO, T. H. A visão bipolar do pódio: olímpicos versus paraolímpicos na mídia on-line do Brasil e de Portugal. Logos 33, v. 17, n. 2, p. 78–89, 2010.

PAPPOUS, A. et al. La visibilidad de la deportista paralímpica en la prensa escrita española. Revista de Ciencias del Ejercicio, v. 3, n. 2, p. 12–32, 2007.

PAPPOUS, A. et al. La representación mediática del deporte adaptado a la discapacidad en los medios de comunicación. Ágora para la EF y el Deporte, n. 9, p. 31–42, 2009.

PAPPOUS, A. S.; MARCELLINI, A.; DE LÉSÉLEUC, E. From Sydney to Beijing: the evolution of the photographic coverage of Paralympic Games in five European countries. Sport in Society, v. 14, n. 3, p. 345–354, 2011a.

PAPPOUS, A. S.; MARCELLINI, A.; DE LÉSÉLEUC, E. Contested issues in research on the media coverage of female Paralympic athletes. Sport in Society, v. 14, n. 9, p. 1182–1191, 2011b.

PAPPOUS, A.; SOUZA, D. L. DE. Guia para a mídia: Como cobrir os Jogos Paralímpicos Rio 2016, 2016. Disponível em: https://static.kent.ac.uk/media/news/2016/05/GUIA-paralimpicos.pdf

PEREIRA, R. S. et al. Luzes, câmeras, ação: enquadrando a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos/2012. In: PIRES, G. D. L.; LISBÔA, M. M. (Orgs.). Quem será “mais Brasil” em Londres/2012? : enquadramentos no telejornalismo esportivo dos Jogos Olímpicos. Florianópolis: Tribo da Ilha, 2015. p. 53–72.

PIRES, G. D. L. A Educação Física e o discurso midiático: abordagem crítico-emancipatória. Ijuí: Unijuí, 2002.

PURDUE, D. E. J.; HOWE, P. D. Empower, inspire, achieve: (dis)empowerment and the Paralympic Games. Disability & Society, n. June 2015, p. 1–14, 2012.

SANTOS, D. S. DOS; MEDEIROS, A. G. A. O discurso midiático e as representações sociais do esporte: o atleta como modelo de comportamento. Pensar a prática, v. 12, n. 3, p. 1–11, 2009.

SANTOS, S. M. Dos. Mídia, esporte e cultura esportiva: um ensaio com a teoria das mediações culturais de Jesús Martín-Barbero. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 8, n. 17, p. 175–190, 2015.

SCOLARI, C. A. Narrativa Transmedia: cuando todos los medios cuentan. Barcelona: Centro Libros PAPF, 2013.

SILVA, C. F.; HOWE, P. D. The (In)validity of Supercrip Representation of Paralympian Athletes. Journal of Sport & Social Issues, v. 36, n. 2, p. 174–194, 2012.

THOMAS, N.; SMITH, A. Preoccupied with able-bodiedness? An analysis of the British media coverage of the 2000 Paralympic Games. Adapted Physical Activity Quarterly, v. 20, n. 2, p. 166–181, 2003.

TYNEDAL, J.; WOLBRING, G. Paralympics and Its Athletes Through the Lens of the New York Times. Sports, v. 1, n. 1, p. 13–36, 2013.

ZHAO, B. H. The representation of disabled athletes in the Chinese and UK press during Beijing 2008: A comparison. Sport & Society, p. 1–6, 2008.

ZOBOLI, F. et al. Um Olímpico Paraolímpico: uma análise midiática da participação de Oscar Pistorius nas Olimpíadas de Londres 2012. In: MEZZAROBA, C. et al. (Orgs.). As Olimpíadas e as Paraolimpíadas de 2012 na mídia sergipana. São Cristóvão: Editora da UFS, 2014. p. 153–188.

ZOBOLI, F. et al. O corpo híbrido: análise midiática da participação do atleta Oscar Pistorius no Mundial de Atletismo de 2011. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, n. 1, p. 26–33, 2016.

ZOBOLI, F.; QUARANTA, A. M.; MEZZAROBA, C. Oscar Pistórius, um deficiente eficiente? Considerações sobre a segregação/inclusão no paradesporto: um olhar a partir da mídia. Atos de Pesquisa em Educação PPGE/ME FURB, v. 8, n. 1, p. 259–286, 2013.

Endereço: http://www.brajets.com/index.php/brajets/article/view/457

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.