Rúgbi nas Aulas de Educação Física Escolar: Análise de Uma Proposta de Ensino a Partir da BNCC

Por: Tiago de Souza Megale.

89 páginas. 2020 20/07/2020

Send to Kindle


Resumo

As críticas à prevalência do esporte nas aulas de Educação Física se dão principalmente pela forma como esse conteúdo é tratado, enfatizando apenas algumas modalidades, mais conhecidas, e pautado principalmente no ensino das técnicas, com a repetição de exercícios e maior preocupação com o refinamento das habilidades. Esse modo de abordar o esporte privilegia os alunos mais habilidosos, que geralmente são a minoria, resultando em aulas pouco atrativas e que privam os estudantes da diversidade de conhecimentos, além dos gestuais, que podem ser adquiridos através da aprendizagem dos esportes. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), busca orientar a organização desses conhecimentos, propondo competências e habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos ao longo da educação básica. O objetivo do presente estudo foi analisar o processo de ensino do Rúgbi para turmas de 5º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do interior do Estado de São Paulo, a partir da BNCC. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, de abordagem aplicada, com referencial teórico na pesquisa-ação. Os instrumentos utilizados na produção dos dados foram o diário de campo, uma sessão de grupo focal e uma avaliação com questões abertas aplicada aos alunos no final da unidade didática. A análise dos dados foi realizada por meio do método de Categorias de Codificação, proposto por Bogdan e Biklen (1994). Os principais resultados apontam que das oito dimensões do conhecimento indicadas pela BNCC para o desenvolvimento das habilidades, cinco foram contempladas - Análise, Compreensão, Reflexão sobre a Ação, Experimentação e Construção de Valores - proporcionando aos alunos conhecimentos relacionados à lógica interna e externa da modalidade; à autonomia para a resolução de problemas e desafios; às regras e ao modo de jogar; e a valores como as questões de gênero, o individualismo, a relação alunos habilidosos versus alunos menos habilidosos e o respeito. Os desafios encontrados para a realização da pesquisa foram a estrutura da quadra, a falta de material no início da unidade didática, o tempo destinado às aulas, o número de alunos nas turmas, os imprevistos que impediram o uso da quadra e interromperam por vezes as aulas e as situações conflituosas. Como possibilidades, destacam-se o uso de vídeos, a estratégia de ensino utilizada (a partir de um jogo conhecido pelos alunos), o material e as particularidades do jogo. A análise realizada apontou para a viabilidade da proposta da BNCC ao sugerir as habilidades que devem ser desenvolvidas durante o ensino dos esportes de invasão, por meio das dimensões do conhecimento Experimentação, Análise e Compreensão. Além dessas, as diversas situações ocorridas durante as aulas forneceram oportunidades de se desenvolver habilidades relacionadas à Construção de Valores e à Reflexão sobre a Ação.(...)

Endereço: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/193578

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.