O Xadrez e as Cores: Formações Imaginárias no Jogo Entre Cida e D. Estela

Por: Nívea de Santana Cerqueira.

XVII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e IV Conice - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

Nesse estudo toma-se por base a Análise do Discurso de linha francesa, que tem como objeto discursivo os sentidos produzidos em torno do jogo de xadrez como base de sustentação da formação imaginária de Cida e D. Estela, personagens do curta-metragem O Xadrez das Cores de Marco Schiavon (2004). Para esta análise foi extraída a fala das personagens, através da transcrição de trechos do filme em que as cenas ocorriam preferencialmente em torno do jogo de xadrez. A formações imaginárias se constituem na imagem que D. Estela tem de Cida: de raça inferior, limitada intelectualmente, destituída de direitos, incapaz de assumir outra posição social. Enquanto a imagem que ela tem de si mesma é de raça superior e a quem tudo é permitido. Para Cida os sentidos produzidos pela formação imaginária que D. Estela faz a seu respeito correspondem à imagem que sua interlocutora tem sobre ela. Porém as projeções que Cida faz de si são de um sujeito capaz de aprender, inteligente, crítica, capaz de impor-se em relação à outra, e de se inscrever em outra posição no discurso.

Endereço: http://cev.org.br/eventos/xvii-conbrace-iv-conice/

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2023 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.