O Papel do Professor de Educação Fisica

Por: .

Da Educação Física.

Send to Kindle


Resumo

À nova orientação da educação física não tem sempre correspondido, mesmo em alguns países em que a questão mais se ventila, urna orientação nova na formação do pessoal do ensino e na escolha de diretores de educação física. Da seleção destes, no entanto, e da pre-paração daqueles é que depende o maior êxito desta grande obra de recuperação da saúde e robustez, e que ficará baldada, estéril, quando não contraproducente, se, de todo cientes da completa missão que lhes compete, não tiverem os professôres sólida instrução teórica e prática, e não forem superiormente orientados por um educador, que deve ser, além de psicólogo avisado, um "engenheiro biologista" teOricamente documentado e de uma competência técnica acima de tôda a crítica. "Nada para o corpo" era o princípio da educação escolástica, dessa edu-cação homicida, que, na frase de V. de Laprade, "suprimia o corpo e o coração e considerava o menino, o adolescente como um puro cérebro". A este regime estiolante de compressão física se seguiria, porém, por falta de orientação científica, um estado de coisas mais deletério, o regime mais perigoso, talvez, de se tratarem os educandos, como puras máquinas, movendo-se, a comando, coletivamente, em exercícios uniformes, para prazer dos olhos de um professor incompetente e vaidoso, ou de uma assistência fútil em dias de festa escolar.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.