O Duplo Aspecto Educativo dos Jogos Digitais Como Vivência de Lazer de Crianças e Jovens

Por: e Vinícius Augusto do Nascimento Monteiro.

Licere - v.24 - n.2 - 2021

Send to Kindle


Resumo

Os jogos digitais incorporaram-se nas vivências de lazer de crianças e jovens. São importantes mediadores da cultura contemporânea e apresentam indícios de potencial educativo nas experiências lúdicas que produzem. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi compreender por quais vias ocorre a educação para os games e identificar expressões de aprendizagem por meio da vivência dos jogos digitais. Aplicamos um questionário com 21 alunos e 14 alunas de 6° ano do ensino fundamental, com faixa etária entre 10 e 14 anos. Identificamos a mediação familiar e domiciliar no princípio da educação para os jogos digitais, bem como a presença dos círculos de amizades e das tecnologias nesse processo. Neste ponto chamamos atenção para a ausência da escola, da Educação Física e, principalmente, do Estado como instituições e ambiências mediadoras da formação cultural infanto-juvenil para, com e sobre o universo lúdico digital.

Referências

AMARAL, S.C.F.; PAULA, G.N. de. A nova forma de pensar o jogo, seus valores e suas possibilidades. Pensar a Prática, v. 10, n. 2, p. 155–168, 2007.

BORSATO, M.; BRASIL, M.R.; OLIVEIRA, V.M. de.; MATTES V.V.; SOUZA, J. de. Produção acadêmico-científica sobre os jogos eletrônicos em periódicos da área de Educação Física no Brasil. Motrivivência, Florianópolis/SC, v. 31, n. 60, p. 01-23, 2019.

BRASIL. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, MEC/SEF, 1998.

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

BUCKINGHAM, D. Repensando a Criança-consumidora: Novas Práticas, Novos Paradigmas. Comunicação Mídia e Consumo, v. 9, n. 25, p. 43-72, 2012a.

______. Precisamos realmente de educação para os meios? Comunicação e Educação, v. 17, n. 2, p. 41-60, 2012b.

CAMARGO, L.O. L. Educação para o lazer. São Paulo: Moderna, 1998.

CAPRINO, M.P.; MARTÍNEZ-CERDÁ, J.F. Media Literacy in Brazil: Experiences and Models in Non-formal Education Alfabetización mediática en Brasil: experiencias y modelos en educación no formal. Comunicar, v. 24, n. 49, p. 39-48, 2016.

COSTA, A.Q. da. Jogos digitais e Educação Física: por uma experiência corporal educativa. In: ARAÚJO, A.C. de; SANTOS, A. de P. dos; DIAS, M.A.; MENDES, M.I.B. de S.; MELO, J.P. de. Diálogo entre Educação Física e Comunicação: compartilhando saberes e práticas. Natal/RN: EDUFRN, p. 53-81, 2016.

______; BETTI, M. Mídias e jogos: do virtual para uma experiência corporal educativa. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 27, n. 2, p. 165-178, 2006.

CRUZ JUNIOR, G. Jogando na Era da Convergência: Notas sobre a produção eletrolúdica no ciberespaço. Licere, Belo Horizonte, v.16, n.4, p. 1-25, 2013. DOI: https://doi.org/10.35699/1981-3171.2013.669

______. delinquente em cada um de nós: uma introdução à pedagogia do "mau exemplo" nos videogames. Curitiba: CRV, 2017a.

______. Vivendo o jogo ou jogando a vida? Notas sobre jogos (digitais) e educação em meio à cultura ludificada. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 39, n. 3, p. 226–232, 2017b.

Endereço: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/34961

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.