Novos Rumos Para as Mulheres no Futebol Brasileiro

Por: Jorge Knijinik e .

Futebol das Mulheres no Brasil: Emancipação, Resistências e Equidade.

Send to Kindle


Resumo

Introdução

A história oficial do futebol de mulheres no Brasil é recente, o histórico de proibições3 e afastamentos associados às premissas biologizantes, pautadas pela “condição de mulher” e da dita “natureza feminina”, tem grande influência nas dificuldades enfrentadas pela modalidade até a atualidade (KNIJNIK; SOUZA, 2004). Knijnik (2014) argumenta que o “legado de gênero do século 20” do futebol influencia até hoje a forma como as mulheres brasileiras desfrutam do esporte, com liberdades ainda tolhidas. O processo de estruturação, mercantilização e profissionalização do futebol praticado por mulheres é marcado pela luta pela equidade, buscando mover estruturas e romper com os paradigmas socialmente estabelecidos. É inegável que a Copa do Mundo de Futebol Feminino organizada pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), realizada em 2019, na França, foi a competição com a maior visibilidade da história da modalidade, o que permitiu o fortalecimento do debate em torno do futebol de mulheres no Brasil. A ascensão e as conquistas dos movimentos feministas, abraçadas nos últimos anos pelos meios de comunicação de massa, fenômeno conhecido como “primavera feminista” (BARRETO JANUÁRIO, 2019) e o mal desempenho da seleção brasileira masculina acenderam o debate e geraram interesse sobre o time feminino 

Endereço: http://cev.org.br/biblioteca/futebol-das-mulheres-no-brasil-emancipacao-resistencias-e-equidade/

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.