Ingestão Alimentar de Jovens Portugueses Atletas de Andebol

Por: Carla de Sá, Paulo Sá, Sérgio Monteiro, Sofia Osório e Tiago Barbosa.

Motricidade - v.17 - n.3 - 2021

Send to Kindle


Resumo

Este trabalho teve como objetivo analisar a ingestão alimentar (macronutrientes e micronutrientes) em jovens atletas de andebol. É um estudo transversal com jogadores da Federação Portuguesa de Andebol sub 16 e 18, que participaram voluntariamente. Foi feita avaliação antropométrica (medida de peso e altura), a ingestão nutricional (por meio de questionário de frequência alimentar) e a posição no jogo. 64 atletas participaram no estudo (48,4% do feminino e 51,6% do masculino), com uma média de idades de 16 ± 1 anos, IMC médio foi superior no sexo feminino (24,1±3,5kg/m2) do que no masculino (23,8 ± 3,0 kg/m2). A ingestão energética média por dia foi significativamente superior em atletas do sexo feminino do que em atletas do masculino foi de 2167,4 ± 1185,0 e 2952,9 ± 1315,8 kcal / dia (p = 0,015, 95CI), respetivamente. A maioria dos jovens atletas relatou uma ingestão alimentar superior ao recomendado (a ingestão de proteínas estava perto do limite superior da recomendação; a ingestão de hidratos de carbono estava abaixo e a ingestão de gordura foi superior) e menor para alguns micronutrientes. Este processo identifica os atletas que necessitam de uma intervenção nutricional, e deve ser um método considerado pelos treinadores, de forma a otimizar o desempenho e a saúde dos atletas.

Endereço: https://revistas.rcaap.pt/motricidade/article/view/23685

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.