Exergames na Educação Física Escolar Como Potencializadores da Ação Docente na Cultura Digital

Por: , Eduardo de Matos Lima e Marcio Roberto de Lima.

EDUCAR em Revista - n.36 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Este artigo relata a aproximação de uma escola pública urbana dos exergames (EXG) nas aulas de Educação Física Escolar (EFE). A pesquisa objetivou identificar significados atribuídos por um professor ao uso de EXG em sua prática pedagógica e sistematizar potencialidades e limitações da aproximação EXG-EFE. Foram utilizados dois videogames Xbox One com Kinect e contou-se com a colaboração de um professor de EFE e de seus alunos do 3º ano do ensino médio. O estudo caracterizou uma Pesquisa-Ação tendo como base a introdução dos EXG nas aulas, o que permitiu: imersão de pesquisadores no contexto de estudo e suas aproximações dos sujeitos de pesquisa; intervenção no cotidiano escolar; realização de observações; geração de dados empíricos pela via da documentação audiovisual, questionários e entrevista. Em campo, foi possível constatar: reconfiguração dos espaços escolares para a EFE;
ressignificações nas ações pedagógicas envolvendo um processo de revisão e reflexão sobre a prática; introdução de novos conteúdos de referência na unidade curricular; melhorias na motivação discente; desenvolvimento de uma cultura participativa discente. As limitações envolvendo o uso pedagógico dos EXG foram associadas ao número de alunos e ao tempo previsto para as aulas. Os indicadores sistematizados na pesquisa sugerem que os EXG propiciam um encontro positivo entre a escola, as práticas da EFE e a cultura digital, podendo essa tecnologia ser considerada como uma expansão das vivências corporais na unidade curricular.

REFERÊNCIAS
ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de. Inclusão Digital do Professor: formação e prática pedagógica. São Paulo: Articulação, 2004.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BENJAMIN, Walter. Sobre arte, técnica, linguagem e política. Lisboa: Relógio D’Água, 1992.

BETTI, Mauro. Educação física e sociologia: novas e velhas questões no contexto brasileiro. In: CARVALHO, Yara M.; RUBIO, Katia.Educação física e ciências humanas.São Paulo: Hucitec, 2001.

BITTENCOURT, Marlom Z. et al. O Potencial dos Exergames para desenvolvimento de Atitude Positiva na Educação Física Escolar. RENOTE-Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 190-199, 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/89260/51500. Acesso em: 14 abr. 2020.LIMA, M. R. de; MENDES, D. S.; LIMA, E. de M. Exergames na Educação Física Escolar...Educar em Revista, Curitiba, v. 36, e66038, 202018

CARVALHO, Daiane A. C.; LIMA, Marcio R. de. Formação de professores para o uso pedagógico das tecnologias digitais de informação e comunicação: uma visão dos marcos legais contextualizada nos cursos da UFSJ. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 290-313, 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/7586/pdf. Acesso em: 9 abr. 2020.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.CUSTÓDIO, Iazana G. et al.Uso de exergames em adolescentes: fatores associados e possibilidade de redução do tempo sedentário.Rev. paul. pediatr., São Paulo, v. 37, n. 4,p. 442-449, dez. 2019.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-05822019000400442&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 14 abr. 2020

.DALEY Amanda. Can exergaming contribute to improving physical activity levels and health outcomes in children? Pediatrics, [s.l.], v. 124, n. 2, p. 763-771, 2010.

GONÇALVES, Jane K. R.; SANTOS, Joanan R. dos; MOTA, Priscila S. A. Aproximações entre os exergames e os conteúdos da educação física escolar. Revista Saúde Física & Mental, Belford Roxo, v. 6, n. 1, p. 74-92, 2018. Disponível em: https://revista.uniabeu.edu.br/index.php/SFM/article/view/3405. Acesso em: 14 abr. 2020.

HEDLEY, Allison et al. Overweight and obesity among US children, adolescents and adults 1999-2002. Jama, [s.l.], v. 291, n. 23, p. 2847-2850, 2004

.KENSKI, Vani M. Tecnologias e Ensino Presencial e a Distância.Campinas: Papirus, 2003.

LEMOS, André. Epistemologia da comunicação, neomaterialismo e cultura digital. Galáxia, São Paulo, n. 43, p. 54-66, abr. 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/gal/n43/1982-2553-gal-43-0054.pdf. Acesso em: 9 abr. 2020

.LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da Internet: Em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual. São Paulo: Editora 34, 1996.LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LIMA, Marcio R. de. Projeto UCA e Plano CEIBAL como possibilidades de reconfiguração da prática pedagógica com as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. 2015. Tese (Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUBD-A3BHSA. Acesso em: 14 abr. 2020.

LIMA, Marcio R. de; NASCIMENTO, Silvania S. do. Projeto UCA em Tiradentes: significações de duas professoras quanto às tecnologias digitais de informação e comunicação no contexto escolar.Educar em Revista, Curitiba, v. 32, n. 61, p. 223-240,set. 2016. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/46117/29235. Acesso em: 14 abr. 2019.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza D. A. de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.LIMA, M. R. de; MENDES, D. S.; LIMA, E. de M. Exergames na Educação Física Escolar...Educar em Revista, Curitiba, v. 36, e66038, 202019

MASETTO, Marcos. Docência na universidade. Campinas: Papirus, 2012.

MEDEIROS, Pâmella de et al. Exergames como ferramenta de aquisição e desenvolvimento de habilidades e capacidades motoras: uma revisão sistemática.Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 35, n. 4, p. 464-471, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822017000400464&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 14 abr. 2020

.MENDES, Diego S. Luz, câmera, pesquisa-ação: a inserção da mídia-educação na formação contínua de professores de educação física. 2008. Mestrado (Educação Física) -Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008. Disponível em: https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/dcefs/DISSERTACAO_Diego_Souza.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

MENDES, Diego S. O estágio na licenciatura em educação física em perspectiva semiótica: (re)ver-se e (re)criar-se em imagens. 2016. Tese (Educação) - Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/141476/mendes_ds_dr_prud.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 14 abr. 2019.

MENDES, Diego S.; BETTI, Mauro. O estágio em perspectiva semiótica: uma experiência mediada por imagens em um curso de licenciatura em educação física. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 2, p. 1-24, 2018. Disponível em: https://tinyurl.com/yx48o9d3. Acesso em: 14 abr. 2019. MINAS GERAIS. Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Lei nº 14.486/2002. Disciplina o uso de telefone celular em salas de aula, teatros, cinemas e igrejas. Belo Horizonte: Assembleia Legislativa, 09 dez. 2002. Disponível em: https://leisestaduais.com.br/mg/lei-ordinaria-n-14486-2002-minas-gerais-disciplina-o-uso-de-telefone-celular-em-salas-de-aula-teatros-cinemas-e-igrejas. Acesso em: 14 abr. 2020.

MERLEAU-PONTY Maurice. Phénoménologie de la Perception. Paris: Gallimard, 1997.

NUNES, Túlio V.; TOIGO, Adriana M.; FLORENTINO, José Augusto A. Exergamescomo ferramenta pedagógica na Educação Física escolar: uma revisão integrativa. Saúde e Desenvolvimento Humano, Canoas, v. 7, n. 2, p. 107-116, 2019. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/saude_desenvolvimento/article/view/5492. Acesso em: 14 abr. 2019.

SANDHOLTZ, Judith H.; RINGSTAFF, Cathy; DWYER, David. Ensinando com tecnologias: criando salas de aula centradas nos alunos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

SILVA, Mauro S.; BRACHT, Valter. Na pista de práticas e professores inovadores na Educação Física Escolar.Kinesis, Santa Maria, v. 1, p. 80-94, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/5718. Acesso em: 14 abr. 2019.

SILVEIRA, Sérgio A.da. Tudo sobre tod@s: Redes digitais, privacidade e venda de dados pessoais. São Paulo: Sesc, 2017.LIMA, M. R. de; MENDES, D. S.; LIMA, E. de M. Exergames na Educação Física Escolar...Educar em Revista, Curitiba, v. 36, e66038, 202020

STENHOUSE, Lawrence. La investigacíon como base de la enseñanza. Madrid: Morata, 1993.THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1996.

VAGHETTI, Cesar A. O.;

VIEIRA, Karina L.; BOTELHO, Silvia S. da C. Cultura digital e Educação Física: problematizando a inserção de Exergames no currículo. Educação: teoria e prática, Pelotas, v. 26, n. 51, p. 3-18, 2016. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/exergamelabbrazil/files/2018/07/EXG-teoria-e-pratica.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

VAGHETTI, Cesar A. O. et al. Exergames na educação física: aproximações com o currículo escolar. Revista Didática Sistêmica, Rio Grande, RS, v. 20, n. 2, p. 79-92, 2018. Disponível em: https://periodicos.furg.br/redsis/article/view/8529/6054. Acesso em: 14 abr. 2019.

ZEICHNER, Kenneth. A Formação Reflexiva de Professores. Idéias e Práticas. Lisboa: EDUCA, 1993


 

Endereço: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=0104-406020200001&lng=pt&nrm=iso

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.