Entre Falhas e Batalhas: Uma Análise Discursiva da Cobertura da TV Globo na Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019

Por: Letícia de Castro e Thalita Neves.

Futebol das Mulheres no Brasil: Emancipação, Resistências e Equidade.

Send to Kindle


Resumo

Introdução

A oitava edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino suscitou várias questões sobre as relações de gênero no esporte, principalmente no que diz respeito ao futebol brasileiro, ampliando debates significativos sobre a modalidade no país. Considerando-se que a imprensa esportiva brasileira, desde o início da prática do futebol feminino no país, tem tratado com desigualdade mulheres e homens nas coberturas esportivas – priorizando o futebol masculino e assim promovendo certa invisibilidade do futebol de mulheres –, a decisão da maior emissora de televisão do país, a Rede Globo, de transmitir pela primeira vez na história uma Copa do Mundo de 1 Bacharela em Jornalismo (UFOP), Mestra em Jornalismo (UFSC) e Doutoranda em Comunicação (UERJ). E-mail: thalitanevesufop@gmail.com 2 Bacharela em Jornalismo (IELUSC) e Mestranda em Jornalismo (UFSC). E-mail: leticiaadecastro@gmail.com thalita neves e letícia de castro 119 Futebol Feminino é “um acontecimento importante e surge como fato inédito e relevante no comportamento do jornalismo esportivo brasileiro em relação à participação feminina no futebol do Brasil” (CASTRO, 2020, p. 2)

Endereço: http://cev.org.br/biblioteca/futebol-das-mulheres-no-brasil-emancipacao-resistencias-e-equidade/

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.