Emoção e Masculinidade no Universo do Futebol no Brasil

Por: Fábio Daniel da Silva Rios e Maria Claudia Pereira Coelho.

Cadernos Pagu - n.58 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir a relação entre emoções e masculinidade no universo do futebol brasileiro, com foco no descontrole emocional masculino presente nas experiências de torcedores. A metodologia utilizada foi a entrevista em profundidade, realizada com dez torcedores de clubes do Rio de Janeiro. Os resultados sugerem que o predomínio desse padrão emotivo aponta para a articulação da masculinidade, no contexto do futebol, a uma sensibilidade definida no Ocidente moderno como um atributo feminino, problematizando assim a associação entre feminino, descontrole emocional e perigo.

REFERÊNCIAS

ABU-LUGHOD, Lila. Veiled sentiments: honour and poetry in a Bedouin society. Berkeley, University of California Press, 1986.

ABU-LUGHOD, Lila; LUTZ, Catherine. Introduction. In: ABU-LUGHOD, Lila; LUTZ, Catherine. Language and the politics of emotion: studies in emotion and social interaction. New York, Cambridge University Press, 1990, pp. 24-45.

ADELMAN, Miriam. As mulheres no mundo equestre: forjando corporalidades e subjetividades “diferentes”. Estudos Feministas, v. 19, n. 3, 2011, pp. 931-953.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo, Companhia das letras, 2008.

BANDEIRA, Gustavo. Amor e masculinidade nos estádios de futebol. Esporte e Sociedade, v. 19, 2012, pp. 1-26.

BENZAQUEN DE ARAÚJO, Ricardo; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Romeu e Julieta e a origem do Estado. In: VELHO, Gilberto (Org.). Arte e Sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, 1977, pp. 130-169.

COELHO, Maria Claudia. A experiência da fama: individualismo e comunicação de massa. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1999.

COELHO, Maria Claudia; Rezende, Claudia Barcellos. Introdução – O campo da antropologia das emoções. In: COELHO, Maria Claudia; Rezende, Claudia Barcellos (org.). Cultura e sentimentos: ensaios em antropologia das emoções. Rio de Janeiro, Contra Capa, 2011. p. 7- 26.

DAMO, Arlei Sander. Futebol e identidade social: uma leitura antropológica das rivalidades entre torcedores e clubes. Porto Alegre, Editora da UFRGS, 2002.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do Estado e civilização. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, vol. 2, 1993.

ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. Em busca da excitação. Lisboa, Difel, 1992.

GIACOMINI, Sonia Maria. Emoção “brega” e relações de gênero na feira de São Cristóvão: corações, corpos e mentes em transbordamento emocional. In: COELHO, Maria Claudia; REZENDE, Claudia Barcellos (Orgs.). Cultura e sentimentos: ensaios em antropologia das emoções. Rio de Janeiro, Contra Capa/FAPERJ, 2011, pp. 27-43.

GIDDENS, Anthony. A transformação da intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. São Paulo, Editora UNESP, 1993.

HOCHSCHILD, Arlie. Trabalho emocional, regras de sentimento e estrutura social. In: COELHO, Maria Claudia (Org.). Estudos sobre interação: textos escolhidos. Rio de Janeiro, EdUerj, 2013, pp. 169-209.

JENSON, Joli. Fandom as pathology: the consequences of characterization. In: LEWIS, Lisa. The adoring audience: fan culture and popular media. London, Routledge, 1992, pp. 9-29.

JIMENO SANTOYO, Myriam. Crimen pasional: contribución a una antropología de las emociones. Bogotá, Universidad Nacional de Colombia, 2004.

LINDHOLM, Charles. Carisma. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1993.

LUTZ, Catherine. Unnatural emotions: everyday sentiments on a Micronesian atoll and their challenge to Western theory. Chicago, University of Chicago Press, 1988.

LUTZ, Catherine (1990). “Engendered emotion: gender, power, and the rhetoric of emotional control in American discourse”. In: LUTZ, Catherine; ABU-LUGHOD, Lila (Orgs.) Language and the Politics of Emotion: studies in emotion and social interaction. Cambridge: Cambridge University Press, pp. 69-91.

LUTZ, Catherine; WHITE, Geoffrey. The anthropology of emotions. Annual Review of Anthropology, v. 15, 1986, pp. 405-436.

MAUSS, Marcel. A expressão obrigatória dos sentimentos. In: FIGUEIRA, Sérvulo Augusto (Org.). Psicanálise e ciências sociais. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1980, pp. 56-63.

PISCITELLI, Adriana; SIMONI, Valerio. Masculinities in times of uncertainty and change: introduction. Etnográfica, v. 19, n. 2, 2015, pp. 293-299.

RIOS, Fábio Daniel. Futebol, masculinidade e emoção: memórias apaixonadas de torcedores. Dissertação de mestrado, Ciências Sociais, UERJ, 2014.

ROJO, Luiz Fernando. A produção do gênero no hipismo à luz dos discursos sobre as emoções. In: COELHO, Maria Claudia; REZENDE, Cláudia Barcellos (Orgs.). Cultura e sentimentos: ensaios em antropologia das emoções. Rio de Janeiro, Contra Capa/FAPERJ, 2011, pp. 45-61.

ROSALDO, Michele. Toward an anthropology of self and feeling. In: SHWEDER, Richard; LEVINE, Robert (orgs.). Culture theory: essays on mind, self, and emotion. Cambridge, Cambridge University Press, 1984, pp. 137-157.

SIMMEL, Georg. Faithfulness and gratitude. In: WOLFF, Kurt (Org.). The sociology of Georg Simmel. New York, Free Press, 1964, pp. 379- 395.

SIMMEL, Georg. O problema da Sociologia. In: MORAES FILHO, Evaristo (Org.). Simmel: Sociologia. São Paulo, Ática, 1983, p.59-86.

SIMONI, Valerio. Breadwinners, sex machines and romantic lovers: entangling masculinities, moralities, and pragmatic concerns in touristic Cuba. Etnográfica, vol. 19, n. 2, 2015, pp.389-411.

VALE DE ALMEIDA, Miguel. Senhores de si: uma interpretação antropológica da masculinidade. Lisboa, Fim do Século, 1995.

VINCENT-BUFFAULT, Anne. História das lágrimas: séculos XVIII-XIX. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1988.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8664329

Comentários


:-)





© 1996-2023 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.