Efeitos Agudos de Diferentes Intensidades na Produção de Potência Muscular em Jogadores de Futebol: Uma Revisão Sistemática

Por: Luiz Carlos Rodrigues Junior.

2021 04/05/2021

Send to Kindle


Resumo

O desenvolvimento de potência muscular encontra-se entre as estratégias mais buscadas por treinadores e comissões técnicas no cenário esportivo. Recentemente, o uso de cargas ótimas para a prescrição de exercícios emergiu como uma abordagem altamente efetiva, uma vez que visa encontrar e utilizar a carga / intensidade em que a maior produção de potência muscular é observada. As cargas consideradas ótimas (% de 1RM ou massa muscular) podem variar de acordo com os parâmetros de avaliação e de medição de potência muscular adotados: VPM (velocidade propulsiva média); PPM (potência propulsiva média); PP (pico de potência); altura de salto. Para o exercício agachamento parcial verificou-se que a carga ótima para produção de pico de potência foi atingida em 112,5% da massa corporal dos atletas e em torno de 46% do 1RM para maiores valores de VPM. Para o exercício agachamento com salto a intensidade % de massa corporal foi verificada entre 68 a 76%. Sobre a carga ótima estabelecida através de VPM, os resultados indicam que a carga ótima para produção de potência ocorre na velocidade de 1,0 m.s-¹, neste sentido podemos especular que a carga ótima para VPM seja inferior a 46% do 1RM. Quando o parâmetro para estipular a carga ótima é altura de salto, as evidências apontam que a altura na qual a potência máxima é atingida, a carga fica em torno de 40% da massa corporal.

Endereço: http://www.ufrgs.br/ppgcmh/site/dissertacoes/2021

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.