Educação Infantil na Bncc: Análise e Contextualização do Componente Curricular Educação Física

Por: Bruno Lima Medeiros, Fernando Gabriel Catarino Araujo, Francis Natally de Almeida Anacleto, Gustavo Cleiton Sousa da Silva e Natalia Cristine Ramos de Oliveira.

Temas em Educação Física Escolar - v.4 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

O presente ensaio objetiva a contextualização da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), analisando o componente curricular Educação Física na Educação Infantil. Em acréscimo, apresenta o papel do professor de Educação Física, suas possibilidades de intervenção e a importância no desenvolvimento motor da criança. Para tal, utilizou-se no estudo o documento da BNCC, a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), além de produções acadêmico-científicas que abordam a Educação Física na Educação Infantil. Com essas análises demonstrou-se a importância da valorização do brincar e jogar na Educação Infantil, cabendo ao professor de Educação Física proporcionar as crianças tais formas de aprendizado. Diante disso, conclui-se que é imprescindível a presença do professor de Educação Física nessa etapa da educação básica, visto que ele possui uma maior capacitação para trabalhar com a cultura corporal do movimento, ponto crucial para o aprendizado na Educação Infantil.

Referências

AVALARO, Adriana Gentilin; MULLER, Verônica Regina. Educação Física na Educação Infantil: uma realidade almejada. Educar em Revista, v. 25, n. 34, p. 241-250, 2009.

AYOUB, Eliana. Reflexões sobre a Educação física na educação Infantil. Revista paulista de Educação Física [on line]. São Paulo, supl. 4, p. 53-60, 2001. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/rpef/article/viewFile/139594/134898>. Acesso em 09 abr. 2018.

BITTENCOURT, Jane. A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DO CICLO DE POLÍTICAS; 13º EDUCERE - Congresso Nacional de Educação, pag. 554-569, agosto de 2017, [Curitiba, PR].

BRAGA, Tiago de Matos. Educação física na educação infantil: o caso da construção de uma proposta pedagógica em escola pública de educação infantil de Porto Alegre/RS. 2016.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Segunda versão revista. Ministério da Educação. Brasília: MEC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 1 de dezembro de 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: ensino fundamental. Brasíli, MEC/SEF, 2017. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/>. Acesso em: 06 abr. 2018.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília/DF, 2009.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. In: BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013. p. 80-101.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação; Câmara de Educação Básica. Resolução nº 7, de 14 de dezembro de 2010. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de dezembro de 2010, Seção 1, p. 34. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb007_10.pdf >. Acesso em: 06 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais Brasília, DF: MEC/SEF, 1997. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf >. Acesso em: abril de 2018.

BRASIL. Emenda constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Diário Oficial da União, Brasília, 12 de novembro de 2009, Seção 1, p. 8. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc59.htm >. Acesso em: 06 abr. 2018.

CAVALLARI, Vinicius Ricardo, ZACARIAS, Vani – Trabalhando com Recreação. 10ª ed. São Paulo: Ícone, 2008.

DE OLIVEIRA DELMONDES, Marina; DA SILVA, Tamili Mardegan. OS “CAMPOS DE EXPERIÊNCIAS” NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR: DO POSITIVISMO AS INVENÇÕES COTIDIANAS. Linguagens, Educação e Sociedade, v. 1, n. 38, p. 72-98, 2018.

DEBORTOLI, José Alfredo; LINHALES, Meily Assbú; VAGO, Tarcísio Mauro. Infância e conhecimento escolar: princípios para a construção de uma educação física “para” e “com” as crianças. Pensar a Prática, v. 5, p. 92-105, Jul./Jun. 2001-2002. Disponível em: < https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/48 >. Acesso em 09 abr. de 2018.

GALLAHUE, David L.; OZMUN, John. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. Porto Alegre: AMGH, 2013.

GALLAHUE, D. L. & OZMUN, J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 3.ed. São Paulo: Phorte Editora. 2005.

HILDEBRANDT, R.; LAGING, R. Concepções abertas no ensino da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1986.

LE BOULCH, J. Educação Psicomotora: A Psicocinética na idade escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. Educação e ludicidade. GEPEL/ FACEB/UFBA, 2002.

MELLO, André da Silva et al. A educação infantil na Base Nacional Comum Curricular: pressupostos e interfaces com a Educação Física. Motrivicência (Florianópolis), v. 28, n. 48, p. [130-149], 2016.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Psicologia e pedagogia da criança. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SILVEIRA G. C. F; PINTO, J. F. Educação física na perspectiva da cultura corporal: uma proposta pedagógica. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, São Paulo, 2001.

Endereço: https://cp2.g12.br/ojs/index.php/temasemedfisicaescolar/article/view/1938

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.