Conflitos em Jogos de Futsal e de Handebol Reflexões Praxiológicas

Por: , e Rodrigo Gonçalves Vieira Marques.

Conexões - v.18 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Os objetivos da presente pesquisa foram identificar e analisar os conflitos nos jogos esportivos de futsal e handebol manifestados por estudantes. Metodologia: A pesquisa, assentada em um estudo exploratório, foi realizada em uma escola da rede pública de ensino estadual de São Paulo. As técnicas de coletas de dados envolveram diários de aula do professor, diários de campo dos alunos, narrativas produzidas pelos alunos. Os participantes foram 63 estudantes de duas turmas do 6º ano do ensino fundamental anos finais. Resultados e discussão: Os resultados apontaram que os conflitos identificados foram xingamentos, discussões desrespeitosas e agressões físicas. Tais conflitos parecem ter ganhado relevo, especificamente: nos papéis e subpapéis no jogo, na interação com companheiro/cooperação e adversário/oposição, nas regras, na rede de marca. Apesar dos conflitos identificados, a vivência destes jogos é importante para oportunizar uma diversidade de interações entre os participantes. Considerações finais: Os conflitos podem assumir um significativo espaço para mobilização de reflexões entre os professores e os estudantes, dando condições para juntos entenderem mais as estruturas e as dinâmicas dos jogos, potencializar a realização de jogos de boa qualidade, favorecer uma melhora na relação entre eles nas aulas e fora delas.

Referências

ASSIS, Orly Z. M.; VINHA, Telma P. O processo de resolução dos conflitos interpessoais na escola autocrática e democrática. Revista Formadores, v. 1, n. 1, p. 63-80, 2004.

BORTOLETO, Marco A. C. La lógica pedagógica de la gimnasia: entre la ciencia y el arte. Acciónmotriz, n. 9, p. 48-61, 2012.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Tradutores: ALVAREZ, M. J.; SANTOS, S. B.; BAPTISTA, T. M. Portugal: Porto Editora, 1994.

CHRISPINO, Álvaro. Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: avaliação de política pública educacional, Rio de Janeiro, v. 15, n. 54, p. 11-28, 2007.

FABRI, Eliane I. Narrativas e histórias em quadrinhos: reflexões sobre o preconceito e exclusão nas práticas corporais. Orientadora: Lílian Aparecida Ferreira. 2017. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, 2017.

FERREIRA, Lílian A.; RAMOS, Glauco N. S. Educação física escolar e praxiologia motriz: compreendendo as práticas corporais. Curitiba: CRV, 2017.

GADOTTI, Moacir FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Pedagogia: diálogo e conflito. São Paulo: Cortez, 1995.

GARGANTA DA SILVA, Júlio M. O ensino dos jogos desportivos colectivos: perspectivas e tendências. Revista Movimento, ano IV, n. 8, p.19-27, 1998.

GIL. Antônio C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMES, Romeu A. Análise de dados em pesquisa qualitativa. In: MINAYO, Maria C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método, e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2002, p. 67-80.

GRANJA, Unai S. O. Conflictos y Educacíon Física a la luz de la Praxiologia Motriz: estudio de caso de um centro educativo de primaria. Dirigida: Pere Lavega Burgués. 2011. Tesis de doctorar, Universitat de Lleida/Espanha, 2011.

HERNÁNDEZ MORENO, José. Análisis de las estructuras del juego deportivo. 2. ed. Barcelona: Inde Publicaciones, 1998.

HERNÁNDEZ MORENO, José; RIBAS, Juan Pedro Rodríguez; NÚÑEZ, Ulises S. Castro. De cómo separar los elementos de la lógica interna y de la lógica externa. Acciónmotriz, n. 1, p. 5-9, 2008.

LAGARDERA OTERO, Francisco. La praxiologia em Espana: aportaciones, objeto y perspectivas. In: Congresso AEISAD, 4o., 1996, Esplugues de Llobregat. Anais... Esplugues de Llobregat, Catalunha, Espanha, 1996, p. 1-20.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 1ª ed. São Paulo: EPU, 1986.

MARQUES, Rodrigo G. V. Conflitos nas aulas de Educação Física Escolar: Reflexões assentadas na Pesquisa-ação e na Praxiologia Motriz. Orientadora: Lílian Aparecida Ferreira. 2017. Dissertação (Mestrado em Ensino) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, 2019.

MINAYO, Maria C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, p. 621-626, 2012.

NONO, Maévi A.; MIZUKAMI, Maria G. N.; Formando professoras no Ensino Médio por meio de casos de ensino. In: MIZUKAMI, Maria G. N.; REALI, Aline M. M. R. (Orgs.). Aprendizagem profissional da docência: saberes, contextos e práticas. São Carlos: EdUFSCar, 2002, p. 139-160.

ETXEBESTE OTEGI, Joseba; BARRIO, Sergio D.; URDANGARIN, Clara; USABIAGA, Oidui; OIARBBIDE, Asier. Ganar, perder o no competir: la construcción temporal de las emociones en los juegos deportivos. Educatio Siglo XXI, v. 32, n. 1 Marzo, p. 33-48, 2014.

PARLEBAS, Pierre. Jargão e linguagem científica. In: RIBAS, João F. M. (Org.) Jogos e esportes: fundamentos da praxiologia motriz. Santa Maria: Editora da UFSM, 2008a, p.19-44.

PARLEBAS, Pierre. Juego deporte y sociedad: léxico de praxiología motriz. Barcelona: Paidotribo, 2008b.

PARLEBAS, Pierre. Perspectivas para una educacion fisica moderna. Andalucia, Unisport Andalucia, 1987.

RANGEL, Irene C. A. Racismo, preconceito e exclusão: um olhar a partir da Educação Física escolar. Motriz, UNESP/Rio Claro, v.12 n.1 p.73-76, jan./abr. 2006.

RIBAS, João F. M. Situações de agressividade em competições de handebol. Orientador: Ruy Jornada Krebs. 1995. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

RIBAS, João F.M. Contribuições da praxiologia motriz para a Educação Física Escolar: ensino fundamental. Orientador: Ademir de Marco. 2002. Tese Doutorado (Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

SILVA, Tomaz T. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000, p. 73-102.

UCHOGA, Liane A. R.; ALTMANN Helena. Educação Física Escolar e relações de gênero: diferentes modos de participar e arriscar-se nos conteúdos de aula. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, n.38, v.2, p.163-170, 2016.

ZABALZA, Miguel A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Endereço: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8659303

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.