Avaliação dos Níveis de Flexibilidade de Faixas Pretas Praticantes de Jiu-jitsu da Categoria Master.

Por: Fabrício Nunes Macedo, Marcelo Mendonça Mota, Michael Nadson Santos Santana, Sebastião Barbosa Netto, Tharciano Luiz Teixeira Braga da Silva e Vitor Ulisses de Melo.

43º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte SIMPOCE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO: O treinamento da flexibilidade em praticantes de artes marciais é imprescindível, pois para a realização adequada de algumas técnicas é necessário ter uma boa mobilidade articular. Na prática do jiu-jitsu, a redução da amplitude de movimentos básicos além de prejudicar a performance dos praticantes pode ocasionar o aumento no risco de lesões. O declínio dos níveis de flexibilidade está diretamente associado ao avanço da idade favorecendo o surgimento de quadros de dor na região lombar, má postura, lesões nas articulações e nos músculos. OBJETIVO: Avaliar os níveis de flexibilidade de faixas pretas praticantes de jiu-jitsu da categoria master. MÉTODO: O presente estudo foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE: 19724019.2.0000.8079). Trata-se de uma pesquisa observacional, de caráter transversal, com uma abordagem qualitativa e quantitativa. A amostra foi constituída de 7 praticantes regulares de jiu-jitsu, faixas pretas, da categoria master e do gênero masculino. Os testes aplicados foram o flexiteste, a goniometria e o teste de sentar e alcançar (Banco de Wells). Foi feita uma análise qualitativa e quantitativa dos dados coletados. Os dados são expressos em média ± desvio padrão. RESULTADOS: Os sujeitos avaliados apresentaram idade de 36,5 ± 4,2 anos, massa corporal de 77,3 ± 14,3 Kg, estatura de 1,72 ± 9,1 m, índice de massa corporal de 25,8 ± 3,2 Kg/m2, percentual de gordura de 15,3 ± 5,8%, massa gorda de 12,3 ± 7,2 Kg e massa magra de 64,9 ± 9,1 Kg. No flexiteste os avaliados obtiveram um flexíndice de 39,3 ± 8,5 de flexibilidade global, sendo classificado como médio negativo. Foi observado na goniometria que a flexão do ombro direito apresentou o valor de 163 ± 5,1 graus de 180 graus de flexão permitidos pela articulação. Já a goniometria do movimento de flexão do quadril direito apresentou-se com 63 ± 14,8 graus de 125 graus de flexão permitidos pela articulação. Por fim, foi verificado no teste de sentar e alcançar o valor de 25 ± 8,8 cm, classificado como regular. CONCLUSÃO: O presente estudo demonstra que os faixas pretas praticantes de jiu-jitsu da categoria master apresentam índices medianos de flexibilidade global, na articulação do ombro e do quadril. Sugere-se incluir exercícios de flexibilidade nas rotinas de treinamento dessa população. 

Endereço: http://celafiscs.org.br

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2023 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.