Associação Entre os Indicadores Antropométricos de Risco à Saúde Para Instrutores de Autoescolas na Cidade de Curitiba

Por: André de Camargo Smolarek, Luiz André Rodrigues Moreira e Wagner de Campos.

Cinergis - v.12 - n.1 - 2011

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: descrever indicadores antropométricos, classificar o estado de saúde e verificar a associação entre os indicadores antropométricos de risco a saúde de instrutores de autoescolas da cidade de Curitiba Paraná. Metodologia: a amostra foi constituída de 39 instrutores práticos de autoescolas, foram aferidos a massa corporal (MC) e estatura (EST), calculou-se o índice de massa corporal (IMC), MC, EST e IMC autoreferidos, perímetro da cintura (PC), e calculou-se a razão cintura para estatura (RCE) forma utilizados análise descritiva, correlação de Spearman e teste “t” de student com um p< 0,05. Resultados: a prevalência para homens foi de 31,6% e 36,8% e 25% e 10% sobrepeso e obesidade de homens e mulheres respectivamente, a correlação entre o IMC real e o autoreferido foi de 0,986 e 0,843 homens e mulheres respectivamente, ambos com diferenças significativas entre o real e o referido com p<0,05. para o PC houve uma prevalência de 26,3% e 25% de indivíduos com risco, já para a RCE esta prevalância subiu para 68,4% e 60% na zona de risco para homens e mulheres respectivamente. porém não foram encontrados valores significativos com relação a associação do IMC e da RCE com o tempo de trabalho. Conclusão: existem alguns distúrbios de ordem antropométrica em instrutores de autoescolas, porém não podem ser atribuídas a carga horário de trabalho.

Endereço: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/2417

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2023 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.