Amplitude de Movimento de Militares Submetidos a 12 Semanas de Alongamento com Diferentes Intensidades

Por: Adriane de Oliveira Sampaio, Alisson Gomes da Silva, Carlos José Nogueira, , Gilmar Weber Senna, Mario Cezar de Souza Costa Conceição e Paula Paraguassú Brandão.

EF&C - Educación Física Y Ciencia - v.22 - n.3 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Objetivou-se investigar os efeitos de 12 semanas de treinamento da flexibilidade com diferentes intensidades na amplitude de movimento (ADM), para a flexão e extensão horizontal de ombro (FHO e EHO) e flexão da coluna lombar (FCL), em militares. Foram avaliados 90 alunos (17,02 ± 1,24 anos) e divididos aleatoriamente em três grupos, com 30 participantes cada: alongamento (GA), facilitação neuromuscular proprioceptiva (GFNP) e controle (GC). A amplitude articular foi verificada mediante a goniometria através do Protocolo LABIFIE e, para tal, utilizou o goniômetro de aço 360 º “Lafayette Goniometer Set” – EUA, como instrumento de mensuração. Utilizou-se a Escala de Esforço Percebido na Flexibilidade – PERFLEX (0 – 110) para controlar a intensidade durante o GA (31- 60) por um perí­odo de 5 segundos, e GFNP (61 e 80) por 8 segundos de insistência para cada fase. Foram realizadas 3 séries com intervalo de cinco segundos entre as mesmas. A análise comparativa dos ní­veis de amplitude articular definida pela Análise de Variãncia (Anova one way) em combinação ao teste Post Hoc de Turkey, apontou diferenças apenas no GFNP: FHO (∆%=4,6; p=0,001); EHO (%∆=8,6; p=0,002); FCL, (∆%=56,1; p=0,001). Concluiu-se que o treinamento através da FNP alcançou maiores í­ndices de desenvolvimento da ADM, quando comparado ao alongamento.

Endereço: https://efyc.fahce.unlp.edu.ar/article/view/EFyCe135

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.