A Organização da Disciplina Estudos Olímpicos e Pesquisa Social (ufjf/gv, 2020-2021)

Por: Igor Maciel da Silva.

Anais do Fórum de Estudos Olímpicos 2021 e III Simpósio Latino-americano Pierre de Coubertin.

Send to Kindle


Resumo

Os Estudos Olímpicos viabilizam debates amplos sobre esporte, política, gênero, raça, diversidade etc., oportunizando formações menos tecnicistas na graduação em Educação Física (Bacharelado ou Licenciatura). A Educação Física é carente de discussões sobre os Estudos Olímpicos e de disciplinas dedicadas à temática. A exemplo de Minas Gerais (Brasil), somente duas entre onze universidades federais ofertam disciplinas do gênero, sendo obrigatória na Universidade Federal de Lavras e eletiva na Universidade Federal de Juiz de Fora-Campus Governador Valadares (UFJF/GV). Ainda que ao longo das formações, o/a discente tenha conhecimento sobre diversas modalidades esportivas, a carga horária, as escolhas docentes e as ausências de debates sobre o assunto na formação dos docentes podem inviabilizar a discussão sobre o tema/ fenômeno/megaevento. Nesse sentido, compartilha-se a organização da disciplina Estudos Olímpicos e Pesquisa Social da UFJF/GV, entre os anos de 2020 e 2021, com o objetivo de fomentar a organização de disciplinas análogas. Ofertada de modo remoto devido a instauração da pandemia de COVID-19, o plano de ensino apresenta os seguintes tópicos divididos em 45 horas teóricas: 1) História e valores olímpicos. 2) Comitê Olímpico Internacional e seus desdobramentos. 3) Símbolos e modalidades. 4) Jogos Olímpicos de Verão, Jogos Olímpicos de Inverno e Jogos Paralímpicos. 5) Mulheres. 6) Racismo. 7) Mídia e política. 8) Brasil nos Jogos Olímpicos. 9) Doping. 10) Tóquio 2020. Algumas considerações: 1) As produções da professora Kátia Rubio são expressivas no que tange a história e periodização do movimento olímpico. 2) O conteúdo fílmico qualificou o entendimento da transdisciplinariedade do tema: "Olympia"; "Nadia Comaneci: a ginasta e o ditador"; "A valsa do pódio"; e documentários sobre Aída dos Santos, Wanda dos Santos e Irenice Rodrigues. 3) O conteúdo foi bem recebido pelos/as matriculados/as que se mostraram surpresos/as pela riqueza e possibilidades de discussões das modalidades esportivas ofertadas no curso pelo viés olímpico. 4) Ainda que as expressões do movimento olímpico e paralímpico tenham sido apresentadas em separado, reconheceu-se a importância de conectar experiências, por exemplo, no tópico mulheres, em que foi discutida a trajetória de Nadia Comaneci (olímpica) e de Terezinha Guilhermina (paralímpica) em mesma aula.

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.