A Educação Fisica da Mulher: Ginástica, Natação e Dança

Por: .

Da Educação Física.

Send to Kindle


Resumo

A cultura física da mulher, escreveu Nelly Roussel, é o capítulo primeiro e essencial de tôda a regeneração física. Se, de fato, nos recorda-mos que, na frase de Tissié, as mulheres fortes fazem uma raça forte; que com a fraqueza das mães começa a dos homens; que não é possí-vel nenhum progresso social durável se a mulher não intervém para beneficiar-se dele e ajudá-lo, mal podemos atinar como desconhecer-se por momento o valor biológico dos geradores, necessário e suficiente para obter um filho são, viável e suscetível de se beneficiar, no má-ximo, com os efeitos da educação física. Na própria Grécia, em que a entrada dos ginásios era interdita à mulher, franqueou-se-lhe em Es-parta, segundo a antiga concepção que da educação feminina engen-drara Licurgo, com o intuito de criar uma raça intrépida e vigorosa para a salvação e grandeza de sua pátria. O resultado não se fez esperar. Para as mulheres espartanas convergiu logo a atenção de tôda a Hélade, que lhes admirava não só a energia do caráter, como a robustez, a regularidade dos traços, a harmonia das linhas do corpo, a beleza plástica. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2022 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.